quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Novas regras ortográficas (1)

Dia 29/9/2008  foi assinado o Acordo Ortográfico dos sete países de Língua Portuguesa. As novas regras ortográficas começaram a valer em 1º de janeiro, e devem estar nos livros didáticos até dezembro de 2012. Aqui vão algumas dicas importantes.

PRINCIPAIS MUDANÇAS

Alfabeto
Inclusão das consoantes , K, Y, e W no alfabeto, que agora passa a ter o total de 26 letras.

Acentos
Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (apoio, boia, centopeia, Coreia, ideia, jiboia, joia, plateia, paranoia). Não se usa mais o acento no i e u tônicos quando vierem após um ditongo em palavras paroxítonas (feiura, enxague, boiuna, averigue). Não se usa mais o acento que diferencia as palavras pára/para, pêlo/pelo, pólo/polo. Mas o acento permanece em pôde/pode, pôr/por, têm/tem, vêm/vem. Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo (voo, zoo, enjoo, leem, creem, veem, abençoo, perdoo).
Num próximo post colocarei mais detalhes sobre os acentos, pois são muitos detalhes.

Hífen
Não se usa mais o hífen na palavra sub-humano (que vira subumano). Palavras compostas que não têm mais hífen: paralama, mandachuva, paraquedas, parachoque. Não se usa mais hífen em palavras terminadas por vogal com segunda palavra iniciada também por vogal: autoescola, extraoficial, infraestrutura, contraindicação, semiárido. Usa-se hífen nas palavras em que o segundo elemento começa pela mesma consoante em que termina o primeiro. Exemplos: super-romântico, hiper-requintado. Palavras compostas que tinham hífen e, agora dobram o ‘r’ e o ‘s’, como exceção à regra anterior: antissocial, ultrassonografia, autorretrato, contrassenso. Não tinha hífen e agora tem (palavras formadas por prefixo ou falso prefixo terminado em vogal e segunda palavra iniciada pela mesma vocal): anti-inflamatório, arqui-inimigo, micro-ondas. 

Ortografia
Palavras que ganharam a opção da dupla grafia: aspecto/aspeto, cacto/cato, concepção/conceção, corrupto/corruto, recepção/receção, caracteres/carateres, dicção/dição. 

Trema
Foi abolido (grafias novas: cinquenta, tranquilo, sequestro, linguiça, aguentar, arguir, linguista).

Preferia que esse acordo não tivesse acontecido, pois acho que o português que falamos aqui no Brasil, reflete as características do país, sua cultura, tradições, raça diversificada e mestiça, aspectos regionais, etc, que são diferentes mesmos nos outros países que falam o português. Além disso, o Brasil é imenso e fala por si mesmo. Acho que o português brasileiro é o reflexo direto e vivo da identidade do nosso povo. Mas, como tem que ser assim...