domingo, 8 de fevereiro de 2009

A lenda da flor de lotus

A flor de lotus é também chamada de lotus sagrado. Sagrada no Egito Antigo, está presente no mito da criação do universo. Sagrada para o budismo, é ligada ao próprio Buda. No hinduísmo, teria presenciado o nascimento de Brahma, o deus que criou os homens. E até a postura mais conhecida do yoga, em que o praticante se senta com as pernas cruzadas, é chamada de "padmasana" ou "postura de lótus". Em todo o Oriente ela é reverenciada como símbolo de pureza e de espiritualidade, já que suas folhas e suas flores saem imaculadas do lodo.

Na Índia, uma pequena lenda conta a historia de sua criação: 
Um dia, reuniram-se para uma conversa, à beira de um lago tranquilo cercado por belas árvores e coloridas flores, quatro lendários irmãos. Eram eles o Fogo, a Terra, a Água e o Ar. Como eram raras as oportunidades de estarem todos juntos, comentavam como haviam se tornado presos a seus ofícios, com pouco tempo livre para encontros familiares. Mas a Água lembrou aos irmãos que estavam cumprindo a lei divina, e este era um trabalho que deveria lhes trazer o maior dos prazeres.

Assim, aproveitaram o momento para confraternizar e contar, uns aos outros, o que haviam construído - e destruído - durante o tempo em que não se viam. Estavam todos muito contentes por servirem à criação e poderem dar sua contribuição à vida, trabalhando em belas e úteis formas. Então se lembraram de como o homem estava sendo ingrato. Construído ele próprio pelo esforço destes irmãos, não dava o devido valor à vida. Os irmãos chegaram a pensar em castigar o homem severamente, deixando de ajudá-lo. Mas, por fim, preferiram pensar em coisas alegres.

Antes de se despedir, decidiram deixar uma recordação ao planeta deste encontro. Queriam criar algo que trouxesse em sua essência a contribuição de cada um dos elementos, combinados com harmonia e beleza. Sentados à beira do lago, vendo suas próprias imagens refletidas, cada um deu sua sugestão e muitas idéias foram trocadas. Até que um deles sugeriu que usassem o próprio lago como origem. Que tal um ser vivo que surgisse da água e se crescesse em direção ao céu? Uma vegetal, talvez? Decidiram-se, então, por uma planta que tivesse suas raízes rente à terra, crescesse pela água e chegasse à plenitude do ar. Ofereceram, cada um, o seu próprio dom. A Terra disse: "darei o melhor de minhas entranhas, alimentando suas raízes". A Água foi a próxima: "e eu fornecerei a linfa que corre em meus seios, para trazer-lhe força para o crescimento de sua haste". "E eu lhe cercarei com minhas melhores brisas, dando-lhe minha energia e atraindo sua flor", disse o Ar. Então o Fogo, para finalizar o projeto, escolheu o que de melhor tinha a oferecer: "ofereço o meu calor, através do sol, trazendo-lhe a beleza das cores e o impulso do desabrochar".

Juntos, puseram-se a trabalhar, detalhe a detalhe, na sua criação conjunta. Quando finalizaram sua obra, puderam se despedir em alegria, deixando sobre o lago a beleza da flor que se abria para o sol nascente. Assim, em vez de punir o ser humano, os quatro irmãos deixaram-lhe uma lembrança da pureza da criação e da perfeição que o homem pode um dia alcançar.

3 comentários:

tata disse...

pena q nunca vi uma... sao lindassssssss...

Casa de Boneca disse...

Oi tata,
Como está? E os vídeos e novidades? Me escreve e obrigada pela visita. Sabia que ia gostar desse post :)
bjkzz

Talita Bounarotti disse...

Ontem a noite vi uma flor de lótus, foi a primeira vez... estava eu e o meu amor *-------* não poderia ser mais perfeito!!!!!