segunda-feira, 23 de março de 2009

Ensinamentos de Shankar (Caminho das Índias)

Alguns ensinamentos de Shankar em Caminho das Índias, direto do livro sagrado Bhagava Gita.

"Os firanghis estrangeiros pensam que podem passar por cima de tudo para satisfazer os seus desejos, eles acham que são o centro do universo. Nós não, nós sabemos que não somos o centro de nada... somos pequenos demais... somos uma poeira perdida no infinito do cosmos. Sendo apenas uma poeira, nós sabemos que se não cumprirmos o nosso Dharma, se nos desviarmos do caminho justo, podemos desequibilibrar o universo inteiro. Então, quando vamos tomar uma decisão na vida, não é só em nós que pensamos... é no equilíbrio do universo."

"As batalhas que enfrentamos estão aqui... na mente. Na nossa mente existem um lobo e um cordeiro, ambos famintos. O lobo representa o ódio, enquanto o cordeiro representa o amor. E essa batalha depende apenas de nós mesmos, pois sobreviverá aquele que nós alimentarmos."

"Quem não consegue dominar os seus sentidos e seus desejos, nunca conseguirá dominar a sua própria mente."

"Um homem deve viver de acordo com a sua verdade... e as idéias, elas não valem nada se não são transformadas em ação."

"A vida é como uma carruagem puxada por cavalos. Os cavalos são os sentidos, a carruagem é a sua vida e você é o cocheiro. Quem está no comando é você, o cocheiro, e se ele não souber dominar os cavalos e escolher os caminhos, tanto a carruagem como ele estão em permanente risco, sofrendo os solavancos de uma viagem perigosa, cheia de obstáculos que pode terminar num abismo."

"Se você está dominado pela ira, procure pelo menos usá-la a seu favor e não contra você. Faça dela um espelho onde possa se mirar. Se você transforma essa ira em auto conhecimento, em força para resistir, em algo positivo que poderá usar a seu favor, então você estará vencendo."

"Tudo o que acontece em nossa vida não é bom nem mal. Tudo é conseqüência de nossos próprios atos."

"A palavra de Deus é a Verdade. Uma meia verdade é uma mentira."

Foto: o ator Lima Duarte como Shankar em Caminho das Índias (globo.com).

Todos os ensinamentos de Shankar estão no livro Bhagava Gita. Se você quiser ter mais desses ensinamentos recomendo que compre o livro. 

O Bhagava Gita é a Escritura Sagrada mais venerada na Índia, considerado o “Livro dos Livros”, tão importante e sagrada para os Hindus como o é a Bíblia para os Cristãos, e o Alcorão para os Muçulmanos. É uma Obra que pertence à humanidade, não sendo propriedade de nenhuma religião em particular. 

Os Ensinamentos Divinos contidos no Gita, revelam uma suprema mensagem de autoconhecimento e auto-realização que o Oriente oferece ao mundo. O Bhagavad Gita (A Sublime Canção), é um poema místico-filosófico, é o episódio mais célebre do Mahabhárata. É um verdadeiro compêndio das idéias da espiritualidade do hinduísmo. Seu universalismo está presente, por exemplo, no tema do domínio de si, que percorre toda a filosofia indiana. 

Fala da alma, da devoção, do trabalho de aperfeiçoamento pessoal. Fala sobretudo de certas realidades humanas: compreensão, inteligência, estar-livre-da-ilusão, veracidade, perdão,  firmeza, felicidade, tristeza, nascimento, decadência, covardia, destemor, eqüidade, não violência, satisfação, penitência, caridade, infância, fama. Isso já basta para conquistar o leitor ocidental contemporâneo, para fazê-lo solidário com uma cultura tão profundamente outra. A obra tem sido elegida como livro de cabeceira pela maioria dos leitores brasileiros.

O meu Gita (foto à esquerda) é muito antigo e tive a sorte de encontrá-lo com versão original em sânscrito traduzida para o inglês e depois para o português verso por verso. Isso é bom porque faz com que a pessoa possa comparar e fazer uma leitura bem melhor do seu significado.

Um comentário:

Rosana Rocha disse...

Lindona coloquei seu link lá no blog... Muito grata pelos elogios em seu comentário... Isso me motivou bastante pode acreditar... Beijos